O Centro Universitário Curitiba – UNICURITIBA reuniu os calouros das turmas da manhã, professores, veteranos e a comunidade para arrecadação de lixo eletrônico, no sábado (2/4/2016). A ação fez parte do Trote Sustentável, uma ecogincana que visa estimular a responsabilidade social, conservação e preservação do meio ambiente.

Foram coletadas mais de 9 toneladas de materiais que foram doados à Associação dos Trabalhadores na Separação de Resíduos Recicláveis de Colombo (RESOL). A turma do Curso de Design de Interiores arrecadou 2.675,90 kg e a foi vencedora da gincana. Em segundo lugar ficaram os alunos do Curso de Direito B, que trouxeram 1.527,60 kg de lixo eletrônico.

O mutirão continua no próximo sábado (9/4/2016) com os calouros das turmas da noite. As pessoas que quiserem contribuir com esses materiais poderão trazer na Rua Chile, 1.500 – Rebouças, das 8h30 às 13 horas.

Confira alguns depoimentos.

“A turma se empenhou bastante e nós juntamos mais do que o esperado. Achei bem interessante o empenho do pessoal. Nós achamos o trote muito diferente, tanto é que o pessoal quer participar nos próximos anos trazendo mais coisas e até ajudar as próximas turmas.”

(GUILHERME ALVES DA SILVA – Direito M B)

 

“Ela não pôde vir, pois está participando de um campeonato de tênis e aí eu e o pai viemos trazer para ajudar no Trote Solidário. Na minha opinião, a iniciativa foi superbacana. É muito legal, é algo bem interessante que faz com que a gente tenha uma preocupação com o sustentável, com o meio ambiente, descartar no lugar certo, com coisas importantes que podem afetar muito se não for descartado no lugar correto.”

(MARCIANA REGINA R. SANTA MARIA,

mãe da aluna Vitória Regina Santa Maria, de Direito)

 

“Nós trouxemos bastante coisa pesada, o pessoal se empenhou muito. Quem tem carro se organizou para ajudar quem não tem. Todos estavam no mesmo clima de ajuda e de cooperação. A ideia do trote foi bem legal, bem positiva em vista do que a gente tem visto aí fora. Todo mundo gostou, foi bem importante a ideia, tem que continuar porque o pessoal se empenha. Foi superválido.”

(NATÁLIA RECCHIUTTI GONÇALVES – Direito M C)

 

“Nós fizemos um grupo, cada um doou um pouco, fomos em alguns lugares coletivos. Nosso amigo que tem uma empresa de transporte emprestou um caminhão que ajudou bastante. No dia anterior, passamos na casa de todo mundo, pegando as coisas para ficar mais fácil. Achei o trote bem bacana, porque além de podermos nos unir, ajudamos outras pessoas.”

(AMANDA PEREIRA BENTO – Direito M D)

 

“O pessoal colaborou bastante e todos tentaram trazer o máximo de material possível. Achei o trote muito diferente e mais legal que os outros, porque tem uma responsabilidade socioambiental muito maior. Eu acho muito importante, porque para quem quer fazer Direito buscar fazer a coisa certa sempre.”

(BEATRIZ CHAMI DE ALMEIDA LIMA – Direito M E)

 

“Minha filha trouxe bastante coisa. Eu acho esse tipo de trote ótimo, pois esse negócio de ficar pintando e cortando cabelo, machucando os outros é ridículo, eu nunca gostei.”

(GILMAR ALCÂNTARA, pai da aluna Fernanda Alcântara,

de Design de Interiores)

 

“Eu moro perto da Audi, divisa com Santa Catarina, e viemos para cá correndo. O carro está cheio de coisas. Esse tipo de trote é maravilhoso, porque os outros trotes que cortam o cabelo, fazem pedir dinheiro na rua, eu acho horroroso.”

(ÉRICA LORETE GUITTER, mãe da aluna Emily Lorete Gúther Lopes,

de Design de Interiores)

 

“Quando foi lançada a proposta do trote, a turma se reuniu para resolver a questão do frete. Nós fomos atrás dos familiares, amigos, vizinhos. Vimos as pessoas da família que tinham caminhão e tudo mais. Fizemos uma ‘vaquinha’ para poder fazer o pagamento dos fretes. Algumas pessoas conseguiram caminhonetes e kombis dos familiares para trazer as coisas para cá. A turma tem aproximadamente 55 pessoas e 50 inscritos, então a turma em peso colaborou. Eu acho esse tipo de trote superinteressante pela questão sustentável, eu acho muito melhor a gente fazer um bem para o mundo e para a natureza do que passar por humilhações e coisas desnecessárias que há em vários trotes.”

(GABRIELA METRING DA CRUZ – Design de Interiores)