A Colômbia é um país muito interessante e seu povo, ainda mais. Por isso, o historiador e professor do Curso de Relações Internacionais do UNICURITIBA, Andrew Traumann, escreveu um livro intitulado “Os Colombianos”. A obra foi lançada em 24 de abril e faz parte da Coleção Povos e Civilizações, da Editora Contexto.

A publicação abrange diversos aspectos: cultura colombiana e suas peculiaridades, além de arte, história, geografia, política e economia do país. O livro também vem com o intuito de romper estereótipos, principalmente do narcotráfico. De acordo com Traumann, é importante desconstruí-lo. “Não que o narcotráfico não exista, mas não é mais como era. Essas séries sobre o Pablo Escobar, podem dar a ideia de que aquela é a realidade da Colômbia atual e não é. Medellín hoje é uma cidade supersegura. Claro que ainda tem criminalidade, mas não se compara ao que era há 20 anos”, explica.

Traumann expõe ainda como essa questão do narcotráfico mudou completamente a Colômbia. “Influiu na política, na corrupção do judiciário e influiu, inclusive, no futebol colombiano, a grande paixão deles. Transformou a Colômbia em um país extremamente violento, mas a recuperação veio a partir de 1993, com a morte de Pablo Escobar, e mais tarde em 1995, com o desmantelamento dos cartéis e as lentas e progressivas negociações do governo com a guerrilha, até culminar no acordo de paz, bem recente. A proposta foi do presidente da Colômbia, Ruan Manoel Santos, e lhe rendeu o Prêmio Nobel da Paz”, detalha.

Alunos e professores do curso prestigiaram o lançamento e uma sessão de autógrafos encerrou cada uma das palestras, realizadas em dois horários, uma no período da manhã e outra no período da noite.